29 de junho de 2007

Da minha lente..


mote seu

Se Helena apartar
do campo seus olhos,
nascerão abrolhos.

voltas

A verdura amena,
gados que paceis,
sabei que a deveis
aos olhos d' Helena.
Os ventos serena,
faz flores d' abrolhos
o ar de seus olhos.
Faz serras floridas,
faz claras as fontes...
Se isto faz nos montes,
que fará nas vidas?

Trá-las suspendidas,
como ervas em molhos,
na luz de seus olhos.
Os corações prende
com graça inumana;
de cada pestana
uma alma lhe pende.
Amor se lhe rende
e, posto em giolhos,
pasma nos seus olhos.



Luiz Vaz de Camões

photo by ME


3 comentários:

Anónimo disse...

Nas Vidas,
Caro Camões,
Helena faz Sol, faz Sorrisos e canções, torna o tempo eterno e a dor em felicidade.


IO

Évora à Sombra disse...

Há momentos absolutamente delirantes na poesia de Camões.
Eis um deles.
Parabens Euterpe

Anónimo disse...

Os olhos da Helena.... escondem tantos mistérios, trazem tantas alegrias, espalham tanta ternura...nos olhos da Helena mora uma linda menina, que brinca e sorri e abraça o Sol e a Lua...nos olhos da Helena espelham-se as aguas do mar e das lagoas num doce marulhar cheio de estrelas....