12 de junho de 2007

Quando..



Quando nos sentimos inseguros.
Quando olhamos à procura de algo que
não conseguimos encontrar..
Quando o mundo em que vivemos nos asfixia
Quando o futuro que nos espera é indistinto..
Quando o tempo aperta tudo se amontoa
não tendo para onde fugir..
Quando..
Quando..
Quem saberá quando..
será o desenlace.


HR

imagem da net


9 comentários:

Pedro V. Fernandes disse...

Helena,
agradeço-te a visita ao meu blog. Vim retribuir. Gostei do poema e acho que a imagem associada foi muito bem escolhida.

(Já agora somos conterrâneos?) :)

Pedro V. Fernandes disse...

(podes eliminar este comentário... apenas um à parte... Afinal estive a reparar melhor... Natural dos Açores e eventualmente a residir no Alentejo) ;)

Évora à Sombra disse...

A dor da arte


Comtempla e pincela a tua alma
De sons líricos de arte e fantasia
Como bem sabes e em demasia
quando sorris o mar em sua calma

Traz contigo sempre a terna idade
Dos que foram, são, e hão-de vir
Ensina-os todos a saber sorrir
Apesar da negrura da vil saudade

Usa essas mãos que sentem o lamento
Que são irmãs do teu coração
Pois nasceram para dar alento

Elas saberão unir a dor ao vento
Rir, chorar afastar em oração
Tudo que não seja teu contento

" JNuno ® " disse...

Blog bem construído duma açoreana de "gema". Parabens

Pedro V. Fernandes disse...

Já que estamos numa de poesia e é de Évora que falamos, deixo algo que escrevi em tempos de adolescente... Por isso não liguem muito além do contexto... :))


Évora

Évora... Foste Moura, foste Romana,
Foste conquistada sem pavor,
Pertences à pátria lusitana
Com todo o teu esplendor.

Foste esquecida no interior,
Foste esquecida, por uma política desumana
Mas, sem vaidade e com primor
Decoras a paisagem Alentejana.

A cronologia é o teu louvor,
Com a benção da Deusa Diana.
O tempo passa por ti com o rigor,
De quem preserva viva, a história humana.

Anónimo disse...

Mas que mania de por em palavras exactas, precisamente aquilo que me vai na alma.
beijo

voxprofundis

Anónimo disse...

Estas quadras do amigo das 10:42, estão soberbas...sobretudo a segunda, quando mistura o interior com a política e o leite Primor...
Continua Pedro...

Madrigal

Pedro V. Fernandes disse...

Madrigal,

também tenho «leitinho» pra ti, só não tem é marca... ;)

Anónimo disse...

Quando??? Quando??? Quando??? Quando for o tempo certo...


IHR